Estações de São Paulo viram patrimônio

Folha de São Paulo 26/07/2010
Estações ferroviárias de São Paulo viram patrimônio cultural
Letícia de Castro

Marcos da urbanização paulista, as estações ferroviárias de São Paulo estão virando também patrimônio cultural do Estado.

Nove conjuntos de prédios que pertenceram a São Paulo Railway, a primeira ferrovia a ser implantada em São Paulo, para escoar a produção de café, foram tombados e outros 24 estão sendo estudados e podem ser incluídos na lista até o fim do ano. Na primeira leva, entraram Jundiaí, Várzea Paulista, Franco da Rocha, Caieiras, Perus, Jaraguá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Santos com seus armazéns.
Construídas com tecnologia inglesa entre 1862 e 1867, elas têm como características marcantes os postes de ferro fundido, uma novidade na arquitetura mundial da época, e mãos-francesas –peças triangulares de sustentação do edifício– com detalhes decorados em ferro. A introdução do tijolo, em uma época em que a taipa era o principal material usado nas construções paulistas, representou uma inovação no fim do século 19.
“Elas representam a expansão da ferrovia pelo estado e a explosão de crescimento da cidade de São Paulo”, afirma o pesquisador Ralph Menucci, que estuda há 15 anos a história das ferrovias no Estado e é autor do pedido de tombamento. […]
“As ferrovias têm papel fundamental no desenvolvimento econômico do Estado de São Paulo. Surgiram com o café e possibilitaram, mais tarde, o desenvolvimento da indústria”, afirma a historiadora Ana Luiza Martins, que coordena a equipe responsável pelo estudo de tombamento no Condephaat. […]

Share

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *